• Pesquisar
  • Categorias

Tem aumentado o número de empresas endividadas, em Portugal.

São mais de 8.800 devedores que não têm nenhuma forma de pagar as suas dívidas, que já chegam aos 136 milhões de euros, sendo que a maior parte são empresas que devem a credores como as empresas de serviços públicos essenciais, como a água ou a luz.

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.

Empresas endividadas

Tem aumentado o número de empresas endividadas, em Portugal.

 

De acordo com o Ministério da Justiça, em 26 de Maio de 2011, a lista pública de execuções apresentava 8.890 registos, com o valor total de 136,2 milhões de euros.

A maior parte são empresas, mas também é preciso ter em conta que são mais as empresas que os particulares que constam na lista de devedores, porque é mais fácil ir sobre as fontes de rendimento dos particulares, nem que seja pela penhora do salário, do que sobre empresas que não é tão notório que bens poderão ser penhorados para o pagamento de dívidas.

Estas são situações em que os devedores não têm como pagar as suas dívidas e constando da lista pública de execuções consegue-se detectar a incobrabilidade das dívidas e evitar processos judiciais que são completamente inúteis devido à falta de bens penhoráveis.

Existem casos quer de particulares, quer de empresas que ficaram a dever a credores como as entidades financeiras, que é o caso da banca e das companhias de seguros. Também o crédito ao consumo é credor de muitas das dívidas, assim como os fornecedores. Do mais supérfluo passamos para o mais essencial como é o caso das empresas de serviços públicos, a água, a luz e finalmente as telecomunicações.

Se esta lista de devedores já é grande, o mais provável é que cresça nos próximos tempos tendo em conta as medidas de austeridade que impõem o aumento de impostos e taxas, os quais aliados à crise económica; a diminuição da procura interna, devido à falta de liquidez que não permite o pagamento a fornecedores; além dos atrasos nos pagamentos do Estado que nunca paga a horas; contribuem para o agravamento do número de devedores.

 

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: [email protected]