• Pesquisar
  • Categorias

Diferenças entre estes dois produtos financeiros

Os portugueses tendem a confundir estes dois produtos financeiros mas na verdade existem várias diferenças, no que toca a liquidez, garantia de capital, montantes, etc. Veja as principais diferenças e opte pelo produto mais adequado ao seu perfil investidor.

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.

Certificados de Reforma vs. Plano Poupança Reforma

Diferenças entre estes dois produtos financeiros

Em primeiro lugar convém explicar que os certificados de reforma (CR) são do âmbito público, digamos que são produtos financeiros do Estado, ao passo que os planos poupança reforma (PPR) são do foro privado. Ora vejamos.

 

Adesão

O Estado criou um fundo de capitalização e os certificados de reforma são unidades de participação desse fundo e que permitem aos colaboradores ter um complemento à sua reforma, mediante um desconto mensal sobre o seu rendimento do trabalho. A adesão a estes produtos só poderá ser feita na Segurança Social, uma vez que a “poupança” é feita sobre os descontos para a Segurança Social, sendo o  capital gerido pelo Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social até à reforma. Já os PPR pode aderir em qualquer balcão de seguradoras, bancos e outras instituições financeiras, podendo transferi-lo sempre que quiser para outro PPR ou até outra entidade, pagando a respectiva taxa.

 

Entregas

Enquanto no PPR escolhe com que frequência fará as suas entregas: mensais, trimestrais, semestrais ou anuais, ou até que prefere fazer entregas não periódicas, assim como os montantes, podendo até fazer entregas excepcionais; nos certificados de reforma a contribuição é mensal e fixada à taxa de 2% ou 4% do salário mensal médio, ficando à escolha do aderente e no caso de ter mais de 50 anos de idade, pode optar por uma taxa de 6% e não estão previstas as entregas excepcionais.  

 

Custos

Os CR não apresentam qualquer custo, no entanto, os PPR têm custos de entrega, gestão, depósito, resgate, transferência e comissões de subscrição.

 

Resgate

Os CR só são resgatados a partir do momento que começa a receber a reforma ou no caso de invalidez total, o que revela ser uma grande desvantagem, esta completa falta de liquidez. Uma vez subscrito terá que o conservar para sempre. Já os PPR podem ser resgatados a qualquer momento, mesmo que seja penalizado pelo resgate antecipado em termos fiscais.

 

Perfil de Risco

O fundo é igual para todos os investidores independentemente do seu perfil de risco no caso dos CR; já nos PPR consegue encontrar imensos, com estratégias de investimento diferentes: conservadores, prudentes, acções, etc.

 

Garantia de Capital

Os certificados de reforma não garantem o capital e não existe um rendimento mínimo garantido; já nos PPR depende sempre do produto escolhido, se for em forma de seguro ou em forma de fundo. Sob a forma de seguro existe mais probabilidade de encontrar produtos com capital garantido ou rendimento mínimo garantido.

 

Como vê, existem várias diferenças que com certeza permitem tomar uma decisão bem mais ponderada. Os CR apresentam muitas mais limitações que os PPR e são até encarados por muitos como mais uma contribuição para a Segurança Social, ainda que facultativa. 

 

Leia também:

O que são certificados de aforro? »

Quem pode pedir a reforma antecipada? »

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: [email protected]