• Pesquisar
  • Categorias
  • Registar
  • Login

Quer garantir a segurança dos que dependem de si?

Como todos os seguros, o seguro de vida cobre um risco. Enquanto o seguro de automóvel cobre o risco de ter um acidente rodoviário, o seguro de vida cobre risco de morte, garantindo maior segurança financeira aos dependentes.

 

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.
Encontre as melhores soluções do mercado em  Seguros!

Encontre as melhores soluções do mercado em Seguros!

Rápido » 100% gratuito » Sem compromisso »

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por meuportalfinanceiro.com e pelos nossos Parceiros
SIMULAR

Vale a pena fazer um seguro de vida?

Quer garantir a segurança dos que dependem de si?
  • Veja em que situações vale a pena subscrever um seguro de vida.

O que é um seguro de vida?

Um seguro de vida pode ser comparado a um plano de investimento para cobrir a falta de alguém. Assim, é acordado um valor que é pago à seguradora, para que em caso de morte ou doenças incapacitantes, os beneficiários possam assegurar a sua estabilidade financeira. De referir que o dinheiro do seguro de vida não pode ser resgatado em outros casos.

 

Quando vale a pena fazer?

Um seguro de vida faz sentido especialmente se for a única fonte de rendimento da família e, principalmente, se tiver filhos pequenos. Ao contrário do comumente se pensa, o seguro de vida não é recomendado para pessoas mais velhas, mas sim para as mais jovens, que ainda não “pouparam” o suficiente e que, em caso de imprevisto, podem deixar a sua família desamparada.

Se for solteiro e sem filhos, o seguro de vida talvez não seja adequado a si. Neste caso o melhor mesmo é ir “amealhando”. Quando dizemos “jovens” dirigimo-nos principalmente aos jovens com dependentes; verdade é que se já é casado e tem filhos, a sua situação muda. Caso aconteça alguma coisa consigo a sua família pode vir a passar necessidades. Lembre-se que a tomada de decisão para contratar um seguro de vida deve ser baseada na situação financeira da família.

 

Se, pelo contrário, a sua situação financeira é estável, e se já conseguiu pôr de lado o suficiente, deve fazer as contas. A verdade é que quando tiver a casa paga ou um bom pé-de-meia, a sua família ficará segura em caso de imprevisto. Seja através da venda dos seus bens ou da renda recebida com as suas aplicações, a estabilidade financeira estará garantida: neste caso, o seguro de vida não é tão necessário.

Nesta lógica, deve lembrar-se que o seguro de vida não é para sempre, mas até ter a certeza que tem forma de garantir o nível de vida dos seus. Assim, ao longo dos anos veja quando é que poderá prescindir deste custo: à medida que o seu património aumente e os filhos comecem ser financeiramente autónomos, a sua família deixará assim de ficar totalmente desamparada no caso do pior lhe acontecer.

 

Lembre-se que poderá ajustar o valor da cobertura do seguro com o passar dos anos e até, dividi-los entre os dependentes. O ideal seria conseguir acumular bens ou valores que deixem a sua família confortável e assim não precisaria de seguro de vida. Lembre-se que um seguro é para quando cobrir um risco, portanto quando a sua família não correr o risco de ficar desamparada, reveja a necessidade da sua apólice.

 

Quais as coberturas de um seguro de vida?

Actualmente os seguro de vida oferecem muito mais do que cobertura apenas em caso de morte. Assim, antes de subscrever um seguro analise as coberturas: verifique se abrange invalidez, se inclui extras contra a impossibilidade temporária de trabalhar e até indemnizações em caso de doenças graves como cancro. Vale a pena pagar um pouco mais, investindo na sua segurança e estabilidade. Como em todos os seguros: Faça simulações, compare preços e coberturas.

 

Alguns especialistas aconselham que deve ter em mente um valor que gostaria de deixar à sua família. Os cálculos (que lhe podem parecer estranhos) são os seguintes: calcule o valor anual em despesas fixas da sua família; multiplique esse valor pelo tempo que ainda as terá (por exemplo do números de anos que ainda lhe restam para liquidar os seus empréstimos); o resultado será o montante que precisa para assegurar a qualidade de vida dos seus.

 

O que pode influenciar o prémio?

A sua saúde. Se subscrever um seguro de vida terá preencher um questionário médico. Seja verdadeiro, pois as penalizações são grandes. A seguradora considera indicadores como peso, altura, tensão arterial, se é fumador ou não, o seu historial de patologias e o da família. Estes indicadores vão influenciar a aceitação do seguro e o prémio a pagar. Quanto mais saudável for, menor será o prémio. Mais um motivo para não se descuidar da sua saúde.

 

O Meu Portal Financeiro aconselha: Verifique a saúde financeira da empresa onde vai contratar o seguro e mantenha os documentos em dia. Guarde as apólices em local seguro, e avise a sua família da existência dessa apólice.

 

Leia também: Como saber se sou beneficiário de um seguro de vida

 

Maria Garcês
vale a pena fazer um seguro de vida? - Dúvidas e Questões

Maria Garcês Comentado há 10 days 5 months 2 years

Partilhe com a comunidade do Meu Portal Financeiro as suas dúvidas ou opinião.

Receber notificações por email sobres deste tópico?

» Comentar agora! »

Outras respostas: (0)

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: info@meuportalfinanceiro.pt