• Pesquisar
  • Categorias
  • Registar
  • Login

Mais taxas moderadoras e menos comparticipações.

O ministro da saúde, Paulo Macedo, anunciou as medidas previstas para o sector da saúde, que passam por cortes que vão recair sobretudo sobre a indústria farmacêutica e prestadores de saúde privados. Vêm aí mais taxas moderadoras e menos comparticipações, garantindo que este esforço será dividido um pouco por todos os intervenientes: empresas do sector, profissionais e os doentes.

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.
Proteja-se e à sua família com um Seguro de Saúde!

Proteja-se e à sua família com um Seguro de Saúde!

Não poupe na saúde, poupe no seguro! Simulação gratuita e sem compromisso.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por meuportalfinanceiro.com e pelos nossos Parceiros
Quero poupar!

Prepare-se para mais taxas moderadoras

Mais taxas moderadoras e menos comparticipações.

 

Uma das medidas previstas passa pelo aumento das taxas moderadoras e pelo fim de algumas isenções. De acordo com declarações do ministro da saúde, Paulo Macedo, "o financiamento do Serviço Nacional de Saúde (SNS) continuará a ser feito essencialmente através dos impostos. Poderá haver um aumento das taxas moderadoras, que representam uma fracção mínima em termos de receitas na Saúde".

No que toca aos medicamentos, haverá redução nas comparticipações, haverá uma forte aposta nos genéricos, e apesar de nada estar ainda definido tudo aponta para que a venda de medicamentos em unidose seja para avançar.

As principais medidas a tomar serão a redefinição da política do medicamento, uma redução dos custos nos hospitais, redução das horas extraordinárias e redução dos valores pagos a prestadores privados.

Haverá um maior controlo por parte do Ministério da Saúde, de forma verificar se as medidas estão a ser cumpridas. Para isso, os hospitais e centros de saúde passarão a disponibilizar mensalmente informação de gestão sobre o seu desempenho, como taxas de reinternamento ou rácio entre consultas e urgências. 

Ressalve-se que o ministro garantiu que os utentes mais carenciados vão continuar a ser protegidos através da isenção de taxas moderadoras, no entanto, os rendimentos é que vão dizer se determinada pessoa deve ou não continuar a usufruir da isenção.

Veremos se será possível cumprir esta poupança, o corte de 10% a 15% anunciado pelo primeiro-ministro, corte esse que será definido quando o Orçamento de Estado do próximo ano for aprovado.

 

Maria Garcês
prepare-se para mais taxas moderadoras - Dúvidas e Questões

Maria Garcês Comentado há 27 days 8 months 2 years

Partilhe com a comunidade do Meu Portal Financeiro as suas dúvidas ou opinião.

Receber notificações por email sobres deste tópico?

» Comentar agora! »

Outras respostas: (0)

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: info@meuportalfinanceiro.pt