• Pesquisar
  • Categorias
  • Registar
  • Login

Orçamento de Estado: Maioria garantiu aprovação

Sabe o que lhe espera o próximo ano? Então venha conhecer o Orçamento de Estado para 2014, aprovado pela maioria no Parlamento.

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.
Simulação das melhores taxas para Crédito Consolidado!

Simulação das melhores taxas para Crédito Consolidado!

Em menos de 1 minuto, gratuito e sem compromisso.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por meuportalfinanceiro.pt e pelos nossos Parceiros
SIMULAR

Orçamento de Estado 2014 já foi aprovado

Orçamento de Estado: Maioria garantiu aprovação
  • Já foi aprovado o Orçamento de Estado para 2014.

Orçamento de Estado 2014


No final do mês de novembro os portugueses conheceram a decisão referente ao Orçamento de Estado para o próximo ano.

Resultado? 
Depois da discussão habitual em torno do diploma provisório, a maioria parlamentar aprovou o Orçamento de Estado para 2014, apesar dos votos contra de todos os partidos da oposição e de Rui Barreto, deputado do CDS.

Orçamento de Estado 2014: Ponto por ponto

São muitas as medidas incluídas no Orçamento de Estado para 2014, mas destacaremos aqui as que mais impacto poderão ter na nossa economia e qualidade de vida dos portugueses.

Antes de mais, o Orçamento de Estado prevê mais cortes nos vencimentos dos funcionários públicos, na ordem dos 1.5% e os 12%, para ordenados superiores a 675€.

Além disso, o documento prevê ainda cortes de cerca de 4 milhões de euros, equivalendo a cerca de 2.3% do PIB, mas 80% desses cortes serão centrados na despesa do Estado.

O Orçamento de Estado para 2014 prevê também a existência de uma taxa de 5% para baixas médicas e de 6% para subsídio de desemprego, mantendo os cortes nas prestações sociais.

Mais uma vez, o subsídio de Natal e de férias dos funcionários públicos serão pagos em duodécimos e irá existir uma tentativa de reduzir em cerca de 2% o número de funcionários públicos. Além disso, o aumento do horário e as reformas dos funcionários públicos irão trazer, para os cofres do Estado, cerca de 153 milhões de euros, avança o diploma.

Funcionários públicos que aceitem prolongar o seu horário de trabalho, não serão alvo de cortes.

O aumento de todos os tabacos também poderá render aos cofres do Estado cerca de 124 milhões de euros, assim como agravamento do IUC a carros e motos a gasóleo poderão ter um impacto positivo nas contas deste Governo.

O IVA de 23% mantem-se na restauração e os imóveis de fundos imobiliários e de pensões passam a pagar IMT e IMI.

Mantém-se a taxa de solidariedade para os rendimentos mais elevados. No entanto, a sobretaxa de 3,5% também se mantém e é aplicável a todos os contribuintes.

Espera-se ainda que a economia cresça cerca de 0.8% e que o défice desça para os 4%, sendo que a dívida pública deverá descer para os 126,6%. Em contrapartida, o Orçamento de Estado prevê que o desemprego continue a subir, fixando-se, no próximo ano, nos 17,7%.

Leia também:
Maria Garcês
orçamento de Estado 2014 já foi aprovado - Dúvidas e Questões

Maria Garcês Comentado há 10 days 5 months 2 years

Partilhe com a comunidade do Meu Portal Financeiro as suas dúvidas ou opinião.

Receber notificações por email sobres deste tópico?

» Comentar agora! »

Outras respostas: (0)

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: info@meuportalfinanceiro.pt