• Pesquisar
  • Categorias
  • Registar
  • Login

Acidentes de moto mais prováveis

Apesar do aumento exponencial do volume de vendas de motociclos e da diversificação da oferta seguradora, os seguros para motos não estão a acompanhar este crescimento.

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.
Seguro Automóvel à medida do seu carro...e do seu bolso!

Seguro Automóvel à medida do seu carro...e do seu bolso!

Compare os melhores LowCost de Luxo. Grátis e sem compromisso.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por meuportalfinanceiro.com e pelos nossos Parceiros
SIMULAR

Seguradoras evitam seguros para motas

Acidentes de moto mais prováveis

Com a entrada em vigor da chamada Lei das “125”, que permite a todos os automobilistas conduzir motociclos até 125 centímetros cúbicos (cc) sem realizar um exame de condução, verifica-se um aumento do volume de vendas de veículos de duas rodas com cilindrada entre os 50 e os 125 cc.

São muitas as vantagens de andar de mota. Poupa tempo, evita as intermináveis filas de trânsito, tem mais facilidade de estacionar e até está isento do imposto de circulação. Este parece um novo fôlego para o mercado das motos. Porém, no que ao sector dos seguros diz respeito, o cenário parece não ser tão animador, isto porque os seguros continuam caros, têm bastantes restrições e torna-se mais difícil fazer um seguro para mota do que para um automóvel.

As seguradoras sabem que existem mais probabilidades de vir a ter um acidente de moto do que de automóvel, facto que pesa na hora de pagar. Desde há muito tempo que as empresas aceitavam apenas a cobertura de responsabilidade civil obrigatória, necessária para circular, e outras ‘impunham’ mesmo que na carteira do cliente constassem mais seguros. Ainda assim, o mais comum era conseguir apenas um seguro de danos próprios no caso de compra de veículo de motociclo por leasing ou Aluguer de Longa Duração (ALD). Caso não conseguisse teria de apresentar três declarações de recusa ao Instituto de Seguros de Portugal, que se encarregaria de nomear uma seguradora para o seu caso.

Segundo um estudo da Associação de Defesa do Consumidor (DECO) de Janeiro último, realizado a 11 seguradoras, apenas três aceitaram subscrever o seguro sem restrições. As restantes só aceitaram mediante duas condições – se a pessoa for cliente da seguradora e se o seu cadastro estivesse limpo.

Actualmente só são aceites, por exemplo, danos materiais no valor de 600 mil euros e corporais no valor de 1,2 milhões de euros, o mínimo exigido por lei. Depois existem seguros diferentes consoante as idades do cliente, a cilindrada e o modelo do motociclo.A tarefa parece pois difícil na hora de tomar uma decisão, mas não é de todo impossível já que existem produtos destinados a este mercado que prometem preços mais acessíveis.

Maria Garcês
seguradoras evitam seguros para motas - Dúvidas e Questões

Maria Garcês Comentado há 4 days 5 months 2 years

Partilhe com a comunidade do Meu Portal Financeiro as suas dúvidas ou opinião.

Receber notificações por email sobres deste tópico?

» Comentar agora! »

Outras respostas: (0)

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: info@meuportalfinanceiro.pt