• Pesquisar
  • Categorias
  • Registar
  • Login

Vale a pena adquirir títulos de Dívida Pública?

Dívida Pública não é sinal de que algo corre mal. É sinal de que o investimento no nosso país está a ser feito e o pequeno investidor poderá, ainda, retirar benefícios deste ativo.

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.
Investimentos mais rentáveis: saiba onde o seu dinheiro vale mais!

Investimentos mais rentáveis: saiba onde o seu dinheiro vale mais!

Compare os Investimentos com as taxas mais competitivas do mercado!

SIMULAR

O que é Dívida Pública?

Vale a pena adquirir títulos de Dívida Pública?

 

Para melhor percebermos o que é isto da dívida pública, o melhor é utilizar exemplos concretos e simples. Se o Estado gasta 100 unidades monetárias, num ano, e recebe apenas 50, através de impostos e receitas diversas, ficam com um saldo negativo de 50 unidades. Desta forma, o Estado emite títulos de dívida pública, recorrendo assim ao crédito. Desta forma, o Estado encaixa dinheiro e vai pagando periodicamente uma taxa de juro até à maturidade do empréstimo e, nessa altura, devolverá também o dinheiro que lhe foi creditado. Assim, Divida Pública é todo o dinheiro devido pelo Estado a terceiros. 

 

Um Estado ter dívidas não significa, por si só, nada de mal. É natural que os investimentos sejam superiores aos ganhos e existir este fosso é sinal de que algo tem sido feito para desenvolver o país. No entanto, os créditos devem ser geridos com prudência. Num país com parco crescimento económico e com grandes dívidas em carteira, poderá existir o risco de incumprimento e isso fará com que exista um atraso do crescimento da economia e consequente pagamento da dívida. 

Todos nós ouvimos, ao longo dos últimos anos, falar de dívida pública, de emissão de títulos de dívida pública ou de obrigações, mas poucos sabem, efetivamente, o que é isto. Nos dois últimos anos, e com a chegada da crise em Portugal, os noticiários falam frequentemente de divida pública e de emissão de títulos de dívida. Um dos principais discursos dos nossos políticos, após a entrada do FMI no nosso país, prendia-se com o regresso de Portugal aos mercados, o que significaria uma espécie de retoma da confiança. 

Com a emissão de 2,5 milhões de euros de dívida a cinco anos, Portugal regressou finalmente aos mercados e reforçou a sua imagem e credibilidade na União Europeia. Isto significa que já não existem um risco acrescido associado ao nosso país e tal situação captou o interesse de investidores internacionais. 

 

Dívida Pública e o pequeno investidor

Se for um pequeno investidor, também poderá adquirir dívida pública através de dois produtos concretos: Certificados de Aforro e Obrigações do Tesouro. Tendo em conta o investimento e a rentabilidade, estes poderão ser produtos bastante apetecíveis. 

Segundo a Deco, os Certificados de Aforro são opção já que têm oferecido taxas muito interessantes, mesmo quando comparadas com as dos depósitos a prazo. Em termos líquidos, atualmente, os certificados de aforro rendem uma taxa de 2,3%, contra 1.5% dos depósitos. Desta forma, se pretender apostar a curto prazo – até 4 anos – o ideal é mesmo apostar em certificados de aforro.

 

Até 2016, os únicos certificados em comercialização são os da série C e, em setembro de 2012, foi introduzido um prémio adicional de 2,75%. Desta forma, os juros brutos deste produto ascendem a 3%. Apesar de não estar já em comercialização, os produtos da série B receberam um prémio adicional de 1%. 

Se pretender investir a médio e longo prazo – entre 5 a 10 anos – o melhor mesmo é apostar em obrigações do tesouro já que estas oferecem taxas líquidas de 4,1% a 4,5%. Neste caso, o investidor terá que recorrer a um intermediário e pagar comissões e, portanto, o produto só compensa para quem queira investir mais de 2500€. Este é o montante mínimo para conseguir diluir as comissões nos ganhos. Em todo o caso, é possível que tenha que manter os títulos até à maturidade para conseguir rentabilizar ao máximo o investimento e retirar os proveitos esperados. Ou seja, é um título com liquidez mas só mantendo as obrigações irão conseguir render o esperado e, portanto, é aconselhado a quem não necessite reaver esse investimento em breve horizonte de tempo. 

 

Neste momento, a dívida portuguesa tem atraído muitas atenções pela sua rentabilidade. Se bem que as taxas oferecidas no mercado da dívida pública sejam as melhores, a verdade é que o risco é também mais acrescido. No entanto, os investidores que arrisquem e assumam o risco poderão ter altos rendimentos, caso tudo convirja para a normalidade. 

Para os especialistas da Defesa do Consumidor, o mais acertado neste momento é investir em fundos ou produtos de dívida que sejam geridos por profissionais. Desta forma, terão acesso a títulos que um investidor sozinho não conseguirá ter. 

 

Maria Garcês
o que é Dívida Pública? - Dúvidas e Questões

Maria Garcês Comentado há 10 days 5 months 2 years

Partilhe com a comunidade do Meu Portal Financeiro as suas dúvidas ou opinião.

Receber notificações por email sobres deste tópico?

» Comentar agora! »

Outras respostas: (0)

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: info@meuportalfinanceiro.pt