• Pesquisar
  • Categorias
  • Registar
  • Login

Tragédia começou a provocar efeitos imediatamente

Foi anunciado hoje que a central nuclear de Fukushima poderá ser desactivada, o que significa que a operadora da central, Tokyo Eletric Power Company (Tepco), poderá ter de pagar indemnizações astronómicas de 130 mil milhões de dólares ou 92,2 mil milhões de euros, se esta crise nuclear se prolongar por dois anos.

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.
Seguro Automóvel à medida do seu carro...e do seu bolso!

Seguro Automóvel à medida do seu carro...e do seu bolso!

Compare os melhores LowCost de Luxo. Grátis e sem compromisso.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por meuportalfinanceiro.com e pelos nossos Parceiros
SIMULAR

Fukushima - Central nuclear desactivada, venham as indemnizações

Tragédia começou a provocar efeitos imediatamente

Recorde-se que foi a 11 de Março que se deu a tragédia do sismo e tsunami na região Nordeste do Japão.

Esta tragédia começou a produzir os seus efeitos imediatamente, em especial no que toca à central nuclear de Fukushima que foi danificada pelo sismo e desde aí tem sido perseguida devido à forma como está a reagir para a resolução desta situação.

As dúvidas sobre como reagir perante tal catástrofe são muitas. Por um lado as autoridades nipónicas pensam se devem cobrir os edificios atingidos com um material que não permita a propagação de substâncias radioactivas, por outro lado, pensam se devem rever os planos que consideravam a construção de mais 14 centrais nucleares até 2030.

A radiação registada na água do mar continua a aumentar e já ultrapassa em milhares o valor legalmente permitido, daí estarem a ser tomadas medidas alternativas de abastecimento de electricidade.

O problema é que os especialistas não acreditam que esta crise nuclear tenha um fim próximo à vista, no entanto, a empresa já está a tratar das compensações para os que sairam afectados a nível de saúde, devido à radioactividade.

Além das indemnizações é preciso pensar no combustível que a empresa vai gastar para manter em funcionamento as suas centrais térmicas entre outras. Para agravar a situação, a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) já fez a recomendação de se alargar a zona de evacuação de pessoas próximas de Fukushima, o que significa mais pessoas a terem que se deslocar e consequentemente haverem mais pedidos de indemnizações.

A boa notícia é que o Governo pode vir a contribuir para o pagamento destas compensações, além disso, tendo em conta um lei japonesa, poderá ser o Governo a pagar tudo, pois no caso de catástrofe natural que cause danos numa central nuclear, esta pode ficar isenta de pagar as despesas decorrentes do acidente.

Maria Garcês
fukushima - Central nuclear desactivada, venham as indemnizações - Dúvidas e Questões

Maria Garcês Comentado há 12 days 5 months 2 years

Partilhe com a comunidade do Meu Portal Financeiro as suas dúvidas ou opinião.

Receber notificações por email sobres deste tópico?

» Comentar agora! »

Outras respostas: (0)

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: info@meuportalfinanceiro.pt