• Pesquisar
  • Categorias
  • Registar
  • Login

Mais um decisão do actual Governo para atingir a máxima poupança.

A sociedade Frente Tejo criada em 2008 com o intuito de reabilitar a frente ribeirinha de Lisboa, será extinta a 31 de Dezembro de 2011. Acredita-se que a razão para esta decisão se prenda com os salários da administração, além de subsídios, seguros, entre outras despesas.

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.
Encontre as melhores soluções do mercado em  Seguros!

Encontre as melhores soluções do mercado em Seguros!

Rápido » 100% gratuito » Sem compromisso »

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por meuportalfinanceiro.com e pelos nossos Parceiros
SIMULAR

Frente Tejo vai fechar

Mais um decisão do actual Governo para atingir a máxima poupança.

 

O Governo tomou a decisão de acabar com a Frente Tejo, uma empresa criada em 2008 com o objectivo de requalificar a zona ribeirinha de Lisboa. Esta é mais uma decisão do actual Governo para atingir a máxima poupança, procurando emagrecer a despesa pública nacional para alcançar o objectivo final que é a redução do défice.

Tendo em conta que alguns planos e projectos já estavam em execução e outros estão sob a  coordenação do Estado, será necessário que outras entidades apoiem a realização destes projectos.

No momento, a Frente Tejo tem 3 grandes projectos sob a sua alçada, que são a construção do novo Museu dos Coches, nas zonas da Ajuda e Belém, que deverá passar para a coordenação da Câmara de Lisboa, Turismo de Portugal e Ministério da Administração Interna; os trabalhos no espaço público e nas zonas fluviais da Ribeira das Naus e a criação de uma ligação entre as ruas do Arsenal e da Alfândega, no Terreiro do Paço, além da requalificação das fachadas dos edifícios e de mais iluminação.

Foram mais de 400 mil euros gastos o ano passado pelo Estado para pagar salários de colaboradores e principalmente gestores, subsídios de almoço, seguros de saúde, despesas com telemóvel, combustíveis e viaturas de serviço.

Com o anterior Governo não se previa este desfecho, até porque a empresa está agora com vários e importantes projectos em mãos. Aliás, o Governo pretende antecipar o encerramento da sociedade de reabilitação da frente ribeirinha lisboeta para antes do final do ano, terminando com o mandato da administração, o mais rápido possível.

 

 

Maria Garcês
frente Tejo vai fechar - Dúvidas e Questões

Maria Garcês Comentado há 11 days 5 months 2 years

Partilhe com a comunidade do Meu Portal Financeiro as suas dúvidas ou opinião.

Receber notificações por email sobres deste tópico?

» Comentar agora! »

Outras respostas: (0)

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: info@meuportalfinanceiro.pt