• Pesquisar
  • Categorias
  • Registar
  • Login

Estudos indicam que a população receia ser vítima de erros médicos

Estudo da DECO revela que 1/5 dos inquiridos acredita que o próprio ou alguma familiar terá sido vítima de erro médico, nos últimos 10 anos, dos quais, mais de metade (58%) apresentou queixa. Quanto aos restantes, não o fizeram por não acreditarem que valesse a pena avançar com a queixa. Do universo de inquiridos mais de 60% receia vir a ser vítima de erro médico.

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.
Proteja-se e à sua família com um Seguro de Saúde!

Proteja-se e à sua família com um Seguro de Saúde!

Não poupe na saúde, poupe no seguro! Simulação gratuita e sem compromisso.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por meuportalfinanceiro.com e pelos nossos Parceiros
Quero poupar!

Erros médicos

Estudos indicam que a população receia ser vítima de erros médicos

Foi realizado um inquérito pela DECO, no que respeita à percepção de erros na área da saúde, a 1575 portugueses, além de outros europeus participarem, como a  Bélgica, Espanha e Itália, num universo de 4.600 pessoas.

O objectivo era saber a opinião dos portugueses sobre o risco de falhas na saúde, além de saber se os inquiridos já tinham sido alvo de procedimentos médicos incorrectos, e se fosse o caso, quais as medidas tomadas. 

O estudo concluiu que são os hospitais públicos que geram mais receio, uma vez que a amostra considera que este é o local onde existe maior probabilidade de existirem erros médicos. Logo a seguir aparecem os lares de idosos e de seguida os hospitais privados.

Mais de metade dos inquiridos afirmou que tinha medo de ser vítima de erros médicos. Além disso, 1/5 revelou que acredita que o próprio ou familiar foi vítima de más práticas, nos últimos dez anos. No entanto, deste 1/5, apenas metade apresentou queixa, sendo que a restante metade não avançou com queixa por considerar que é sempre o paciente que perde nesta situações.

Várias razões foram apontadas para a negligência médica, entre elas: o pouco cuidado com os doentes, o cansaço, relacionado com elevado volume de trabalho e o reduzido número de horas de sono de médicos e de enfermeiros, a falta de preparação dos profissionais, aliada à pouca experiência e os erros no diagnóstico.

De forma a evitar este tipo de situações, a Associação sugere que seja obrigatório para os profissionais de saúde,  um seguro de responsabilidade civil. Além disso, sugerem também a criação de um "regime de responsabilidade objectiva inerente  à actividade médica que possa diminuir o recurso aos tribunais e/ou acelerar decisões, ou seja, face a um dano, o doente é compensado através do seguro, sem ter de demonstrar a culpa dos profissionais". 

Finalmente, é bom relembrar que sempre que um doente considere que foi vítima de negligência médica, deve escrever no Livro de Reclamações e assim dessa forma a queixa será remetida à Entidade Reguladora da Saúde. 

 

Maria Garcês
erros médicos - Dúvidas e Questões

Maria Garcês Comentado há 12 days 5 months 2 years

Partilhe com a comunidade do Meu Portal Financeiro as suas dúvidas ou opinião.

Receber notificações por email sobres deste tópico?

» Comentar agora! »

Outras respostas: (0)

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: info@meuportalfinanceiro.pt