• Pesquisar
  • Categorias
  • Registar
  • Login

Consiga o seu crédito habitação.

A crise obrigou os bancos, outrora facilitadores, a fecharem-se a novos créditos e, hoje, conseguir a aprovação de um crédito habitação é quase impossível.

 

Os cookies permitem-nos optimizar os nossos serviços. Ao utilizar o nosso site, concorda com a nossa política de utilização de cookies. Saiba mais.

Sim, aceito.
Simulação das melhores taxas para Crédito à Habitação!

Simulação das melhores taxas para Crédito à Habitação!

Em menos de 1 minuto, gratuito e sem compromisso.

0
0

Aceito receber comunicações enviadas pelo meuportalfinanceiro.com e parceiros
Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por meuportalfinanceiro.com e pelos nossos Parceiros
SIMULAR

Crédito Habitação estrangulado?

Consiga o seu crédito habitação.
  • O ajustamento da economia portuguesa tem originado um abrandamento significativo do crédito bancário.

Se é verdade que há 20 anos a banca facilitou o acesso ao crédito, não menos verdade é que hoje o mesmo não se passa. O crédito mal parado e a constante subida de entrega de casas aos bancos faz com que o sector financeiro se muna de ferramentas que os defendam de possíveis faltas de pagamento por parte das famílias. Hoje, conseguir a aprovação de um crédito habitação pode ser algo bastante penoso, para não utilizar a palavra impossível porque essa é demasiado forte. 

 

A situação é quase dramática para a maioria dos bancos comerciais em Portugal. Generalizando, os créditos não estão a ser pagos e no caso de estarem, o pagamento é feito com alguns atrasos. Isso provoca o caos na instituição bancária que, como todos sabemos, retira dividendos dos créditos que vende. Muitas vezes, adquiriu-se uma habitação sem refletir sobre o futuro e isso fez com que muitas pessoas se vissem obrigadas a entregar as casas ao banco para tentar pagar parte do crédito habitação contraído. Isso também criou uma situação alarmante para os bancos que, agora, são também agentes imobiliários que tentam vender as habitações que possuem em carteira. A tarefa tem-se apresentado complexa, pela falta de conhecimento do mercado e pela retração do próprio mercado imobiliário. Hoje, analisa-se todas as opções antes de avançar para a aquisição de casa própria e isso leva a um arrastar da decisão final. Mas a verdade é que os bancos têm tentado criar mecanismos que facilitam a aquisição dos imóveis da sua propriedade e têm investido em campanhas que poderão permitir a uma família ter acesso a uma habitação de qualidade a preços bem abaixo do mercado. Situação esta que levanta depois alguns problemas com as agências imobiliárias que se queixam de concorrência desleal, mas esse é um problema que deverá ser resolvido entre as duas entidades e não analisada pelo possível comprador. Assim sendo, voltemos ao processo de aquisição de casa própria com recurso ao crédito habitação. A asfixia dos bancos portugueses é uma realidade e para que consiga ter acesso ao crédito habitação deverá reunir uma série de requisitos, entre eles, possuir entre 10 a 20% do valor da habitação para que possa dar de entrada. Esta é uma forma de contrariar os empréstimos a 100% já que atualmente os bancos têm apenas aprovado créditos de 75%. Além disso, deve garantir que a sua taxa de esforço ronda os 30 a 40% e, para tal, deve ter real noção de todos os créditos que possui e qual o peso mensal no seu orçamento. Já sabe, sem folga orçamental, o crédito não será aprovado. Esta é uma forma de, por um lado, os bancos contribuírem para a literacia financeira e para a criação de um espírito de poupança e, por outro, terem uma garantia de que o crédito será liquidado sem atrasos ou sobressaltos. 

 

No entanto, e apesar destas ressalvas, a aprovação do crédito habitação poderá ser mais facilitada ou célere se optar por adquirir uma casa que faça parte da carteira de imóveis do banco onde pretende celebrar o seu contrato. Para estes imóveis poderá chegar aos 100% de financiamento e ter inúmeras vantagens, como Avaliação, Comissões Bancárias, Registos Provisórios, IMT, Escritura, Imposto de Selo, já incluídas no valor do imóvel. Vale a pena conhecer a oferta da banca porque as oportunidades são inúmeras.

 

Como já foi referido, a taxa de esforço máxima é um dos requisitos iniciais para se propor a um crédito habitação, mas os bancos solicitam muito mais do que isto. Antes de mais, é necessário que reúna a documentação pessoal de vendedor(es), comprador(es) e fiador(es), tais como BI, Passaporte ou Título de Autorização de Residência, NIF, sentença judicial de divórcio e respetivos acórdãos (caso seja divorciado) e Certidão comercial e NIPC do vendedor (no caso do proprietário ser uma sociedade). Deverá também reunir os documentos comprovativos de rendimentos, tais como os três últimos recibos de vencimento, ultima declaração de IRS e nota de liquidação da mesma e declaração da entidade patronal a comprovar o tipo de contrato e antiguidade na empresa. Se for trabalhador por conta própria, poderá contar com o pedido da declaração de início de atividade e as 2 últimas declarações de IRS e respetivas notas de liquidação. 

 

Depois de o crédito ser finalmente aprovado, poderá tratar de todo o processo de contratualização do mesmo e, nessa altura, deverá levar consigo os originais anteriormente solicitados e juntar a estes dos documentos referentes ao imóvel. Tome nota: Escritura de compra e venda ou cópia simples da Certidão de teor, Contrato de Promessa de Compra e Venda, Caderneta Predial ou Certidão Matricial atualizada, Licença de Utilização (construção declarada às Finanças posterior a 1951) ou escritura de compra da casa em que conste a apresentação da licença de utilização, Ficha Técnica de Habitação (caso a emissão da licença de utilização ser posterior a 30 de Março de 2004), Certidão de infraestruturas (no caso de primeiras transmissões dos imóveis), Declaração do IPPAR (em imóveis sitos em zonas classificadas como zona de proteção de património), Declaração de correspondência de mora, Certidão predial atualizada e Comprovativo de liquidação do IMT.

 

É também usual o banco pedir uma garantia para a atribuição de um crédito habitação e as mais comuns e importantes são a hipoteca – uma garantia real que confere ao credor o direito de ser pago -, o penhor – uma garantia real que garante ao credor o direito à satisfação do seu crédito e dos juros, se existirem – e a fiança – uma garantia pessoal que garante que um terceiro terá responsabilidade pela dívida principal assumida pelo devedor. 

 

A panóplia de documentos e requisitos necessários é grande, mas antes de se preocupar com isto, tente averiguar as condições existentes nos diversos bancos e saiba qual o banco que lhe oferece o crédito habitação mais vantajoso. Lembre-se de questionar sobre spreads, taxas de juro, períodos de carência, diferentes produtos e discuta o mais ínfimo pormenor. É nestes pequenos detalhes que pode residir o sucesso do seu crédito habitação.

 

Pág. Anterior 2/4 Pág. Seguinte

Maria Garcês
crédito Habitação estrangulado? - Dúvidas e Questões

Maria Garcês Comentado há 26 days 7 months 3 years

Partilhe com a comunidade do Meu Portal Financeiro as suas dúvidas ou opinião.

Receber notificações por email sobres deste tópico?

» Comentar agora! »

Outras respostas: (0)

Estimado usuário, por favor verifique a sua situação económica antes de assumir qualquer compromisso com os nossos parceiros. O Meu Portal Financeiro apenas disponibiliza e actualiza informação financeira, não sendo responsável pelos produtos apresentados. O conteúdo está actualizado até à data mostrada em cada página. Se quiser fazer alguma actualização, por favor envie-nos a sua sugestão para: info@meuportalfinanceiro.pt